Audiência sobre feminicídio no Acre é adiada para o próximo dia 14

MST
Protesto contra o feminicídio no Brasil

A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados adiou para o próximo dia 14, às 17 horas, a audiência pública que realizaria nesta quarta-feira (1º) para discutir o combate ao feminicídio no Acre.

O debate foi solicitado pelo deputado Leo de Brito (PT-AC). Segundo ele, dados do Monitor da Violência , uma parceria do portal G1 com o Núcleo de Estudos da Violência da USP e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, mostram que o Acre tem a maior taxa de homicídios contra mulheres e de feminicídios do País.

Segundo o balanço, a taxa de homicídios dolosos de mulheres do Acre é a maior do país, com 7 mortes a cada 100 mil mulheres. Já a de feminicídios do estado acreano é de 2,5 para cada 100 mil mulheres”, diz. Os dados são de 2018 e 2019.

MST Protesto contra o feminicídio no Brasil

A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados adiou para o próximo dia 14, às 17 horas, a audiência pública que realizaria nesta quarta-feira (1º) para discutir o combate ao feminicídio no Acre.

O debate foi solicitado pelo deputado Leo de Brito (PT-AC). Segundo ele, dados do Monitor da Violência , uma parceria do portal G1 com o Núcleo de Estudos da Violência da USP e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, mostram que o Acre tem a maior taxa de homicídios contra mulheres e de feminicídios do País.

Segundo o balanço, a taxa de homicídios dolosos de mulheres do Acre é a maior do país, com 7 mortes a cada 100 mil mulheres. Já a de feminicídios do estado acreano é de 2,5 para cada 100 mil mulheres”, diz. Os dados são de 2018 e 2019.

Da Redação – AC

56ª Legislatura – 3ª Sessão Legislativa Ordinária

Fonte: Agência Câmara Notícias