Comissão debate a doença da urina preta e a queda de consumo do pescado

Sidney Oliveira/Agência Pará
Deputado quer debater a proteção aos pescadores afetados

A Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia da Câmara dos Deputados debate nesta quarta-feira (29) a incidência da Síndrome de Haff, conhecida como doença da urina preta, nos estados do Pará e do Amazonas e medidas de proteção à população e aos pescadores afetados pela queda do consumo do pescado.

O deputado Airton Faleiro (PT-PA), que propôs o debate, explica que recentemente alguns casos da doença surgiram no Pará e em maior número no Amazonas. Segundo ele, no Amazonas houve surto da doença em 2008 (37 casos), 2015 (74 casos) e 2021 (61 casos até agora). No Pará, em 2021, houve registros de 6 casos em diferentes partes do estado.

A Síndrome de Haff é uma enfermidade que promove a destruição das fibras musculares de seres humanos, liberando substâncias na corrente sanguínea que acometem principalmente os rins, em um processo chamado rabdomiólise, que altera a cor da urina. “Neste caso, o que desencadeia este processo é a ingestão de uma toxina (palitoxina – encontrada em organismos cnidários marinhos) proveniente do consumo de pescado, no caso, peixes ou crustáceos”, explica.

Faleiro relata que mercados estão desertos, ninguém está comprando peixe, gerando preocupação para os comerciantes, pescadores e empresas que
trabalham com pescado, incluindo supermercados e restaurantes. “A situação é especialmente problemática porque está acontecendo durante uma pandemia que já dura mais de 18 meses e que tem gerado severos impactos socioeconômicos para as famílias de pescadores.”

Foram convidados, entre outros, representantes do Ministério da Agricultura, do INSS, da Fiocruz, do Instituto Evandro Chagas, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca do Pará, da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Estado do Pará, e do Movimento dos Pescadores e Pescadoras Artesanais do Oeste do Pará e Baixo Amazonas.

Confira a lista completa de convidados.

O debate será realizado às 14 horas, no plenário 12.

Sidney Oliveira/Agência Pará Deputado quer debater a proteção aos pescadores afetados

A Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e da Amazônia da Câmara dos Deputados debate nesta quarta-feira (29) a incidência da Síndrome de Haff, conhecida como doença da urina preta, nos estados do Pará e do Amazonas e medidas de proteção à população e aos pescadores afetados pela queda do consumo do pescado.

O deputado Airton Faleiro (PT-PA), que propôs o debate, explica que recentemente alguns casos da doença surgiram no Pará e em maior número no Amazonas. Segundo ele, no Amazonas houve surto da doença em 2008 (37 casos), 2015 (74 casos) e 2021 (61 casos até agora). No Pará, em 2021, houve registros de 6 casos em diferentes partes do estado.

A Síndrome de Haff é uma enfermidade que promove a destruição das fibras musculares de seres humanos, liberando substâncias na corrente sanguínea que acometem principalmente os rins, em um processo chamado rabdomiólise, que altera a cor da urina. “Neste caso, o que desencadeia este processo é a ingestão de uma toxina (palitoxina – encontrada em organismos cnidários marinhos) proveniente do consumo de pescado, no caso, peixes ou crustáceos”, explica.

Faleiro relata que mercados estão desertos, ninguém está comprando peixe, gerando preocupação para os comerciantes, pescadores e empresas que
trabalham com pescado, incluindo supermercados e restaurantes. “A situação é especialmente problemática porque está acontecendo durante uma pandemia que já dura mais de 18 meses e que tem gerado severos impactos socioeconômicos para as famílias de pescadores.”

Foram convidados, entre outros, representantes do Ministério da Agricultura, do INSS, da Fiocruz, do Instituto Evandro Chagas, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca do Pará, da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Estado do Pará, e do Movimento dos Pescadores e Pescadoras Artesanais do Oeste do Pará e Baixo Amazonas.

Confira a lista completa de convidados.

O debate será realizado às 14 horas, no plenário 12.

Da Redação – RL

56ª Legislatura – 3ª Sessão Legislativa Ordinária

Fonte: Agência Câmara Notícias