Conteúdo antecipado e a nova política do Fator de Impacto da Web of Science

Por Ernesto Spinak

Cada periódico descrito no Journal Citation Reports (JCR) cumpriu com os rigorosos critérios de qualidade e impacto documentados no processo de seleção editorial dos índices Science Citation Index Expanded e Social Science Citation Index da Web of Science Core Collection, para que seja possível encontrar rapidamente uma lista dos periódicos mais influentes nas ciências da vida, ciências físicas e ciências sociais.

Os informes de citações de periódicos são publicados anualmente no mês de junho; todo ano também se faz uma “recarga” de dados atualizada aproximadamente três meses depois da publicação anual, o que dá a oportunidade de realizar os ajustes e atualizações necessários nos dados incluídos na publicação de junho.

Uma vez que a recarga de 2020 foi completada, a atenção do JCR se deteve na edição de 2021, uma vez que, tal como estava planejado, seria feita a inclusão dos artigos de Acesso Antecipado. Isso havia sido anunciado em outubro de 2020.

Um número crescente de periódicos costuma publicar artigos on-line antes de sua inclusão formal como parte de um volume/fascículo programado; isso frequentemente é denominado “acesso antecipado” (EA, early access) e representa a versão definitiva do registro. Dependendo das preferências de cada periódico, estes artigos frequentemente também são denominados: artigos no prelo; publicação avançada de artigos; on-line primeiro etc., (in press, ahead of print, online first). No modelo SciELO de Publicação, são identificados como ahead of print.

Não há alterações nos textos arbitrados dos artigos EA, exceto pelo fato de que lhes é atribuído um volume, um fascículo e a informação da página, por isso, conservam o mesmo DOI. A definição que se usa é “Uma versão fixa de um artigo de periódico que foi colocada à disposição por qualquer organização que atua como editor, declarando formal e exclusivamente o artigo ‘publicado’.” Ainda que esta definição se refira especificamente a artigos, se aplica este conceito de maneira mais ampla a qualquer tipo de documento, sempre que cumpra com os mesmos critérios.

Para ser qualificado como acesso antecipado (EA), o conteúdo deve:

ser a versão de registro que não mudará, exceto pela atribuição final em um volume/fascículo;
incluir um DOI que não mudará;
incluir uma data de publicação de acesso antecipado;
incluir as referências citadas que estão presentes na versão do registro;
não incluir volume, fascículo, páginas inicial e final, nem data final de publicação;
ser publicado em um periódico com um modelo de volume/fascículo.1

O EA permite a descoberta e análise mais rápida do conteúdo acadêmico. Deve ser esclarecido que isso não inclui preprints.

Desde 2017, como parte do programa piloto de EA, editores que fornecem conteúdo EA em formato XML foram gradualmente incorporados ao JCR. Este programa piloto progrediu bem; até agora, mais de 6.000 periódicos foram incluídos e incorporados por meio de envios em XML. De acordo com o compromisso do JCR de apoiar a pesquisa aberta, a edição de 2021 do JCR incluirá o conteúdo do EA nas métricas fornecidas, incluindo o fator de impacto do periódico (JIF, Journal Impact Factor).

Ao adicionar conteúdo de EA às contagens de citações de periódicos, isso implicará em alterações nos índices de impacto, portanto, o JCR deve escolher como política de avaliação dos periódicos um modelo prospectivo ou um modelo retrospectivo para a contagem, pela seguinte razão.

O tema é que há duas datas distintas associadas com o conteúdo de EA:

uma “data de acesso antecipado” que marca a primeira disponibilidade da Versão de Registro e/ou
uma “data de publicação” vinculada a uma atribuição de volume-edição-página.

O problema ocorre quando a data de EA e a data de publicação caem em anos naturais diferentes, pois representa um desafio para o cálculo das métricas de JCR:

Estes artigos devem ser considerados na recontagem de elementos publicados em seu ano de EA ou na recontagem de elementos publicados em seu ano de publicação?

E é aí que surge o problema da abordagem prospectiva e retrospectiva…

Avaliação das abordagens retroativa ou prospectiva

O modelo retroativo aplicaria a data de EA para trás, em todo o conteúdo que se recebe como EA desde 2017 em diante. Isso afetaria o denominador do Journal Impact Fator (JIF) de 2020 para os periódicos que proporcionavam conteúdo de EA para indexar em 2018 ou 2019, o que poderia diminuir seu valor JIF e sua classificação na categoria como resultado de sua participação precoce no projeto piloto de acesso antecipado. Pelo contrário, não haveria nenhum efeito no denominador JIF para os periódicos que não proporcionavam conteúdo de EA antes de 2020.

O modelo prospectivo estabeleceria 2020 como o primeiro ano para o qual o conteúdo de EA seria considerado de acordo com sua data de EA ao invés de sua data de publicação e continuaria incorporando novo conteúdo usando a data da EA. Ao contrário do modelo retroativo, o conteúdo que foi indexado como EA antes de 2020 não mudaria o ano em que é contado no JCR desde sua data de publicação até sua data de EA.

Em ambos os casos, o conteúdo publicado como EA em 2020 contribuiria com referências citadas no numerador do JIF 2020, inclusive se o artigo não tem uma atribuição de volume/ano até 2021, ou depois. Isso amplia o número de elementos e citações que contribuem ao numerador do JIF 2020 da maioria dos periódicos no JCR, independentemente do fato se eles mesmos publicam conteúdo de EA que já está indexado na Web of Science (WoS).

Parece complicado? Nem tanto, estas situações ficarão mais claras com os exemplos que apresentamos abaixo.

A Clarivate optou por implementar o modelo “prospectivo”. O modelo retroativo criaria duas populações de periódicos que se veriam afetados diferentemente, com base apenas em quando a Clarivate começou a aceitar seu conteúdo de EA, não havendo nenhuma alteração na dinâmica de citações ou publicação do periódico em si. A razão está fundamentada no documento de análise associado ao relatório citado, que analisa para as diferentes opções as alterações nos numeradores e denominadores do índice com o qual se gera o JIF.

Mas esta mudança de regra não passou despercebida pela comunidade de editores, conforme publicado rapidamente em The Scholarly Kitchen no post Changing Journal Impact Factor Rules Creates Unfair Playing Field For Some2 de fevereiro de 2021 com os argumentos que apresentamos a seguir, levando a Clarivate a publicar em março um esclarecimento3 sobre as dúvidas levantadas.

Segue a análise2 publicada pelo The Scholarly Kitchen.

A transição para um modelo que conta a publicação com base nos dados da publicação on-line, em vez da publicação impressa, modificará em mais e menos a próxima rodada de pontuações do Journal Impact Fator (JIF).

A mudança a um modelo de recontagem baseada na data de publicação on-line era esperada há muito tempo. No entanto, o novo modelo pode dar lugar a alterações inesperadas nas pontuações do JIF e na classificação dos periódicos, porque a “Clarivate necessita de dados de publicação online para aproximadamente a metade dos periódicos que indexa.” Atualmente, a Clarivate tem datas de publicação eletrônica para os periódicos da Springer-Nature, porém não, por exemplo, para as da Elsevier. Em outras palavras, considerando sua falta de dados completos de e-Pub para todos os periódicos, o modelo retroativo é uma péssima ideia.

A mudança de datas de seleção não é neutra, pois poderia afetar seus valores e, portanto, o ranking do periódico. Isso se vê analisando três cenários para diferentes periódicos:

Periódico Médico Multidisciplinar. Este periódico de alto impacto (JIF=25) publica 500 artigos por ano, com uma média de 40 referências por artigo, das quais 5% são autocitações. O tempo de espera entre a publicação EA e a designação impressa é de apenas um mês.
Mudança esperada: Com o novo modelo da Clarivate, o JIF aumentará apenas um terço de um por cento, ou 0,083 pontos, para JIF 25,083.

Periódico científico de subespecialidade. Este periódico de desempenho moderado (JIF=4) publica 250 artigos/ano, 40 referências/artigo, 20% de taxa de autocitações e 3 meses de tempo de atraso.
Mudança esperada: Sua pontuação JIF aumentará 25% (um ponto completo) para JIF 5,000.

Periódico regional/especializado. Este periódico (JIF=2) publica 50 artigos/ano, com uma média de 40 referências por artigo, a metade delas são autocitações. O tempo de atraso é de 6 meses.
Mudança esperada: Sua pontuação JIF aumentará 250% (5 pontos completos) para 7,000.

Essencialmente, os periódicos com altos níveis de autocitações e longos tempos de espera entre a publicação eletrônica e a atribuição impressa são particularmente sensíveis a alterações massivas em sua próxima pontuação no JIF. No entanto, inclusive os periódicos com taxas de autocitações relativamente baixas e atrasos curtos de publicação são suficientemente afetadas de forma a mudar sua classificação acima dos competidores que não têm dados de publicação on-line na Web of Science.

Porém, ainda há perguntas a responder, apenas para indicar algumas:

Por que a janela de citações segue sendo de 2 anos e não se aumenta para 3 anos, por exemplo?
Por que continuam usando índices com quatro casas decimais?
Porque insistir com os índices baseados no periódico em lugar dos artigos em si, ou talvez, seus autores?
Seria a alteração de modelo uma reação devido ao fato que o Scopus proporciona atualizações mensais em sua métrica Citescore?
Por que os periódicos que adotam o modelo de publicação contínua de artigos (que são cada dia mais frequentes) não são incluídos no modelo EA?

É provável que vejamos grandes ganhadores e grandes perdedores caso a Clarivate continue com seu novo modelo de contagem. Tudo isso é muito novo, e seguramente “com o andar da carruagem as abóboras se ajeitam.”

Notas

1. Os periódicos que seguem um modelo de publicação contínua de artigos (CAP, continuous article publishing), ou seja, um modelo de “construção on-line” ou que são publicados apenas no formato impresso, não são elegíveis para a indexação de acesso antecipado (EA). Ou seja, o modelo de publicação contínua não requer incorporação, já que estes elementos têm uma única data de publicação e metadados finais do periódico (volume, eventualmente fascículo, e número do artigo).

2. DAVIS, P. Changing Journal Impact Fator Rules Creates Unfair Playing Field For Some [online]. The Scholarly Kitchen, 2021 [viewed April 15 2021]. Available from: https://scholarlykitchen.sspnet.org/2021/02/01/unfair-playing-field/

3. Web of Science Journal Citation Reports 2021: Novidades que serão implementadas. Web of Science. 2021 [viewed April 15 2021]. Available from: http://s786780033.t.en25.com/e/es?s=786780033&e=1281010&elqTrackId=9697c1f688ef4be5a0e63c7ab2ba2730&elq=a327f9316c6740289ccd46b15b756a52&elqaid=14594&elqat=1

Referências

Adding Early Access content to Journal Citation Reports: Choosing a prospective model [online]. Web of Science. 2021 [viewed April 15 2021]. Available from: https://clarivate.com/webofsciencegroup/wp-content/uploads/sites/2/dlm_uploads/2021/01/EA-in-JCR3-discussion-paper-1.pdf

DAVIS, P. Changing Journal Impact Fator Rules Creates Unfair Playing Field For Some [online]. The Scholarly Kitchen, 2021 [viewed April 15 2021]. Available from: https://scholarlykitchen.sspnet.org/2021/02/01/unfair-playing-field/

HUBBARD, S. What’s next for JCR: defining ‘Early Access’ [online]. Web of Science blog, 2020 [viewed April 15 2021]. Available from: https://clarivate.com/webofsciencegroup/article/whats-next-for-jcr-defining-early-access/

McVEIGH. M. Adding Early Access content to Journal Citation Reports: choosing a prospective model [online]. Web of Science blog, 2021 [viewed April 15 2021]. Available from: https://clarivate.com/webofsciencegroup/article/adding-early-access-content-to-journal-citation-reports-choosing-a-prospective-model/

QUADERI, N. The JCR Reload and a look ahead to the introduction of early access content in 2021 [online]. Web of Science blog, 2020 [viewed April 15 2021]. Available from: https://clarivate.com/webofsciencegroup/article/the-jcr-reload-and-a-look-ahead-to-the-introduction-of-early-access-content-in-2021/

Web of Science Journal Citation Reports 2021: Novidades que serão implementadas. Web of Science. 2021 [viewed April 15 2021]. Available from: http://s786780033.t.en25.com/e/es?s=786780033&e=1281010&elqTrackId=9697c1f688ef4be5a0e63c7ab2ba2730&elq=a327f9316c6740289ccd46b15b756a52&elqaid=14594&elqat=1

 

Sobre Ernesto Spinak

Colaborador do SciELO, engenheiro de Sistemas e licenciado em Biblioteconomia, com diploma de Estudos Avançados pela Universitat Oberta de Catalunya e Mestre em “Sociedad de la Información” pela Universidad Oberta de Catalunya, Barcelona – Espanha. Atualmente tem uma empresa de consultoria que atende a 14 instituições do governo e universidades do Uruguai com projetos de informação.

Traduzido do original em espanhol por Lilian Nassi-Calò.

Fonte: SciELO
Licença deste conteúdo: