Hospital modular de Samambaia recebe primeiros pacientes

O hospital modular de Samambaia, inaugurado na última sexta-feira (28/5), recebeu de segunda-feira (31/5) até esta terça (1º) seis pacientes, sendo duas oriundas do Hospital Regional do Guará (HRGu). Localizado na área externa do Hospital Regional de Samambaia (HRSam), a estrutura foi projetada para 102 leitos exclusivos para pacientes com covid-19, sendo quatro de isolamento e o restante de enfermaria.

Os leitos do hospital modular têm pontos para oxigênio e são para pacientes que não estão em estado grave | Fotos: Geovana Albuquerque/Agência Saúde

Segundo o diretor do HRSam, Ruiter Arantes, o local vai receber, nesta terça-feira (1º) outros pacientes, um dos quais já direcionado pela regulação vindo do Hospital Regional de Ceilândia (HRC). “No momento, são 15 leitos disponíveis para regulação. Vamos ampliando a oferta conforme a demanda e a organização interna da equipe”, explica.

Além disso, Ruiter esclarece que os leitos do modular possuem pontos de oxigênio e são para pacientes que não estão graves, mas que precisam de oxigênio sob cateter nasal para respirar.

O transporte dos pacientes entre as unidades é realizado pelas equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu-DF) ou pelo Núcleo de Apoio e Remoção de Pacientes (Narp).

Estrutura pré-moldada do hospital foi construída em 35 dias

Reforço

Na ocasião da inauguração do espaço, o governador Ibaneis Rocha assinou a nomeação de 122 novos servidores da saúde, sendo a maioria composta por médicos, e a ampliação de carga horária para 242 servidores, que trabalharão na nova unidade. Das ampliações de carga horária, 119 são para técnicos de enfermagem e 31 para enfermeiros.

No evento, o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, agradeceu o esforço da equipe. “Quero aproveitar a ocasião para agradecer aos profissionais da saúde pelo trabalho incansável no dia a dia”, ressaltou.

Legado

O hospital modular foi erguido com doações das redes hospitalares D’Or São Luiz e Ímpar  (cada uma, R$ 2 milhões), do Comitê Todos Contra a Covid-19 (R$ 2 milhões) e do Instituto BRB (R$ 3 milhões), totalizando R$ 9 milhões. Após a pandemia, a estrutura será alterada e o local atenderá outras demandas no HRSam.

A estrutura do hospital modular é pré-moldada e foi feita, em tempo recorde, no estado de Santa Catarina. São mil metros quadrados, erguidos em área adjacente ao Hospital Regional de Samambaia, onde antes havia um estacionamento. Um corredor interliga os dois prédios. A obra é de responsabilidade do Instituto BRB e foi toda construída em 35 dias.

*Com informações da Secretaria de Saúde

Fonte: Agência Brasília