Projeto regulamenta reciclagem de navios e plataformas

Cleia Viana/Câmara dos Deputados
Armando: medida cria novo mercado, com geração de emprego, renda e tributo

O Projeto de Lei 1584/21, do deputado Coronel Armando (PSL-SC), propõe regras para o desmonte e a reciclagem de embarcações e de instalações removidas do mar, como plataformas de petróleo, para reciclagem em terra. A proposta tramita na Câmara dos Deputados.

O texto define as responsabilidades dos gestores da reciclagem e do poder público e os instrumentos econômicos aplicáveis. Por exemplo, para preparar uma embarcação para envio à reciclagem, o responsável por ela deverá fornecer ao operador de estaleiro de reciclagem todas as informações necessárias para a elaboração do plano de reciclagem e notificar por escrito à autoridade marítima a intenção de reciclar a embarcação em determinado estaleiro.

O plano de reciclagem da embarcação deverá ser elaborado antes do início do processo de reciclagem. Já o estaleiro de reciclagem deverá ser autorizado a funcionar pela autoridade local por cinco anos, com possibilidade de renovação.

Em outro ponto, o projeto estabelece que cada embarcação nova deverá ter a bordo inventário de materiais perigosos, que relaciona as substâncias presentes na estrutura ou nos equipamentos da embarcação, bem como sua localização e quantidade aproximada.

As regras sugeridas se aplicam aos estaleiros de reciclagem de embarcações e a todas as embarcações em águas jurisdicionais brasileiras, com exceção daquelas com comprimento inferior a oito metros sem propulsão mecânica fixa e das embarcações da Marinha.

Novo mercado
Com a proposta, Coronel Armando pretende contribuir para a criação de um novo mercado, com geração de emprego, renda e tributos.

“Segundo a Agência Nacional do Petróleo (ANP), o Brasil deverá ser o terceiro maior mercado de descomissionamento offshore [localizados no mar] nos próximos dez anos. A expectativa é que pelo menos 102 plataformas sejam desativadas na próxima década, o que deverá perfazer um total de recursos movimentados da ordem de R$ 90 bilhões. Parte desses recursos está direcionada para o processo de remoção e reciclagem dessas estruturas que sairão do mar e deverão ser encaminhadas para a terra”, destaca o autor do projeto.

O parlamentar ressalta ainda que a proposta foi elaborada com a colaboração de engenheiros especializados e antigos comandantes da Marinha.

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; de Relações Exteriores e de Defesa Nacional; de Viação e Transportes; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

21/06/2021 – 13:47  

Cleia Viana/Câmara dos Deputados Armando: medida cria novo mercado, com geração de emprego, renda e tributo

O Projeto de Lei 1584/21, do deputado Coronel Armando (PSL-SC), propõe regras para o desmonte e a reciclagem de embarcações e de instalações removidas do mar, como plataformas de petróleo, para reciclagem em terra. A proposta tramita na Câmara dos Deputados.

O texto define as responsabilidades dos gestores da reciclagem e do poder público e os instrumentos econômicos aplicáveis. Por exemplo, para preparar uma embarcação para envio à reciclagem, o responsável por ela deverá fornecer ao operador de estaleiro de reciclagem todas as informações necessárias para a elaboração do plano de reciclagem e notificar por escrito à autoridade marítima a intenção de reciclar a embarcação em determinado estaleiro.

O plano de reciclagem da embarcação deverá ser elaborado antes do início do processo de reciclagem. Já o estaleiro de reciclagem deverá ser autorizado a funcionar pela autoridade local por cinco anos, com possibilidade de renovação.

Em outro ponto, o projeto estabelece que cada embarcação nova deverá ter a bordo inventário de materiais perigosos, que relaciona as substâncias presentes na estrutura ou nos equipamentos da embarcação, bem como sua localização e quantidade aproximada.

As regras sugeridas se aplicam aos estaleiros de reciclagem de embarcações e a todas as embarcações em águas jurisdicionais brasileiras, com exceção daquelas com comprimento inferior a oito metros sem propulsão mecânica fixa e das embarcações da Marinha.

Novo mercado
Com a proposta, Coronel Armando pretende contribuir para a criação de um novo mercado, com geração de emprego, renda e tributos.

“Segundo a Agência Nacional do Petróleo (ANP), o Brasil deverá ser o terceiro maior mercado de descomissionamento offshore [localizados no mar] nos próximos dez anos. A expectativa é que pelo menos 102 plataformas sejam desativadas na próxima década, o que deverá perfazer um total de recursos movimentados da ordem de R$ 90 bilhões. Parte desses recursos está direcionada para o processo de remoção e reciclagem dessas estruturas que sairão do mar e deverão ser encaminhadas para a terra”, destaca o autor do projeto.

O parlamentar ressalta ainda que a proposta foi elaborada com a colaboração de engenheiros especializados e antigos comandantes da Marinha.

Tramitação
O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; de Relações Exteriores e de Defesa Nacional; de Viação e Transportes; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

Reportagem – Noéli Nobre
Edição – Cláudia Lemos

56ª Legislatura – 3ª Sessão Legislativa Ordinária

Fonte: Agência Câmara Notícias